A saga pela descoberta e o medo do desconhecido
02/12/2015
Dicas pra ser linda
04/12/2015

Rute – Elo construído

Semana passada vimos que é possível ter um bom relacionamento entre sogra e nora (se você não leu é só clicar aqui.) Não é piada, é possível desenvolver uma relação de amor entre noras e sogras.

Nossas personagens bíblicas estão nos ensinando isto, além de outras coisas, por isso, não perca mais nenhum capítulo sobre o Livro de RUTE.  (Você pode cadastrar seu email pra receber os avisos, gratuitamente.)

Mas sigamos em nosso estudo.

Rute e Orfa eram casadas com os filhos da viúva Noemi. Seus maridos haviam acabado de morrer e com certeza elas estavam muito tristes.

Ao invés de voltarem correndo para suas famílias de origem, elas demonstraram muito amor por sua sogra Noemi que já era viúva, continuando ao seu lado.

Não quiseram deixa-la sozinha. Não por pena, mas pelo elo de amor que haviam construído durante os anos em que viveram juntas.

Noemi, em meio a tanta tristeza, por ter perdido seus filhos, decidiu voltar para sua terra. Ela havia recebido notícias de que a fome havia acabado e que o Senhor Deus estava abençoando o Seu povo.

Por isso, reuniu as suas coisas e saindo, foi a caminho de Judá. Suas noras, Rute e Orfa não hesitaram em acompanha-la.

“Saiu, pois, ela com suas duas noras do lugar onde estivera; e, indo elas caminhando, de volta para a terra de Judá,…” Rute 1.7

Quando amamos alguém de verdade, seja num amor de marido e mulher, de pais e filhos, de irmãos, e até de noras e sogras há PARCERIA.

Ainda que nem tudo esteja fácil ou cômodo, as pessoas dão as mãos e seguem em frente ajudando e apoiando uns aos outros.

Rute e Orfa não se importaram em sair da sua terra e imagino que com sinceridade acompanhavam sua sogra Noemi. E fizeram isto porque queriam estar perto dessa mulher que elas aprenderam amar e respeitar.

Elo de amor é algo que tem que ser construído.
Nos nossos relacionamentos, no convívio que temos com as pessoas diariamente, construímos elos.

Que elo tem construído com seus parentes, ou com os parentes do seu cônjuge? Ou mesmo que tipo de elos e parcerias tem formado no seu trabalho ou escola?

Que sejamos sábias em formar elos saudáveis e sensatos. Nos apegando ao que é de fato bom e nos afastando do que não nos fará bem, ainda que inicialmente pareça cômodo.

Nem sempre o mais fácil é o melhor!

Pra Rute e Orfa, sair de sua terra e seguir Noemi não seria o mais fácil, mas elas teriam de fazer a própria escolha, escolher qual elo em suas vidas era mais importante.

O que tinham com o lugar onde cresceram e o povo ao qual pertencia, ou seguir com sua sogra viúva sem muita perspectiva de constituir família, mas seguindo uma mulher que tinha ensinado sobre o verdadeiro Deus.

Rute e Orfa foram alertadas por Noemi, que elas é que teriam de escolher e cada uma delas fez sua escolha.

Mas isso é o que veremos na semana que vem.

Que reflitamos hoje sobre os elos que temos formado e, ao exemplo dessas mulheres, percebamos que mesmo em meio a dores e a perdas, quando relacionamentos são construídos num amor sincero e bom, gera um forte elo que nos faz sair do comodismo afim de, ajudar o que precisa do nosso apoio.

Até o próximo capítulo.

Siga-me nas redes sociais

https://www.facebook.com/fortedelicadeza

https://instagram.com/denise.angeli/

https://twitter.com/ForteDelicadeza

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *