Fale pouco e ouça pouco
13/08/2015
Uma roupa adequada faz toda a diferença
14/08/2015

Mulher Sunamita – Generosidade desinteressada e a recompensa

Ler sobre a mulher sunamita sempre me inspirou muito. A mulher sunamita foi uma  mulher diferenciada. E pra falar dela vamos dividir a história em 2 partes, pra que dessa forma possamos degustar parte a parte sem atropelar nem deixar nada importante sem ser dito.

A primeira parte da história dessa mulher, da qual falaremos hoje, está escrita no livro de II Reis 4.8-17. Vale a pena ler cada versículo.

A Bíblia não diz qual o nome dela, o que vale mesmo foi o que ela fez e como escolheu viver. Essa mulher viva em Suném e tinha uma boa situação financeira, provavelmente fazia parte da alta sociedade e poderia ser uma mulher esnobe e convencida, mas ela escolheu não ser assim.

Seus bens não lhe subiram a cabeça, antes, manteve-se humilde no comportamento e na postura simples e também bela.

Naquele tempo havia um profeta chamado Eliseu que de tempos em tempos passava pela cidade de Suném. A mulher sunamita juntamente com seu marido oferecia comida a ele. Estudos dizem que a hospitalidade a estranhos era algo comum naquela época e que era até uma obrigação moral.

“Daí, todas as vezes que passava por ali, entrava para comer.”

O que fez então essa mulher se destacar?

Lendo o texto é possível ver que a mulher sunamita era uma mulher observadora. Ela percebeu que aquele homem não era apenas um homem comum, ela notou que ele era um homem de Deus.

“Ela disse a seu marido: Vejo que este homem que passa sempre por nós é santo homem de Deus.”

Depois de fazer essa observação, ela desejou honrar esse homem de Deus. E é aí que vemos uma atitude diferenciada. Olha só a atitude dela.

“Façamos-lhe, pois em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira, e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se-á para ali.”

E assim eles fizeram. Quando o profeta Eliseu viu o que aquela mulher havia preparado para ele, ele quis retribuir a generosidade. E mandou seu servo Geazi chamar a mulher sunamita e perguntou se ela precisava de algum favor.

E ela demonstrou mais uma vez possuir um espírito verdadeiramente generoso. Ela não tinha feito aquilo pra receber alguma vantagem ou pra obter algum benefício. O intuito dela era honrar aquele homem de Deus que viajava de um lado para o outro, pra que ele tivesse um lugar pra descansar, se alimentar e seguir seu caminho.

E nós, quando fazemos algo bom para alguém, buscando alguma coisa em troca?
Fazemos visando algum interesse oculto?
Com que objetivo ajudamos alguém?

Aquela mulher apenas queria honrar a Deus com o que ela possuía, ela tinha condições financeiras, por isso, ofereceu aquilo que ela tinha de melhor e que fosse atender a necessidade do profeta e do seu servo.

Nós, temos muitas coisas boas que podemos oferecer com generosidade a quem precisa. Seja financeiro, conhecimento, uma gentileza. A mulher sunamita usou o que ela tinha pra beneficiar alguém sem interesses por trás daquela atitude. Mas ainda assim ela recebeu uma recompensa.

Quem honra a Deus também é honrado por Ele. Os homens até podem ser ingratos, mas as nossas atitudes são vistas pelo Senhor. E mesmo que o ser humano não nos recompense, Deus recompensará.

Olha só o que aconteceu com a mulher sunamita… Eliseu buscou saber se haveria alguma coisa que ele poderia fazer por ela, e através do seu servo Geazi, ele soube que ela não tinha filhos e que seu marido já era velho. Naquele tempo, uma mulher israelita não ter filhos era algo muito humilhante e triste.

Eliseu chamou a mulher sunamita e profetizou que em um ano ela daria a luz um filho. Isto de fato aconteceu, ela concebeu e deu a luz um menino no prazo que foi profetizado. Aleluia!

Deus conhece as nossas necessidades. Quando somos generosas, solidárias e fazemos isso de boa vontade buscando honrar a Deus, mesmo que os outros não nos reconheçam ou valorizem, Deus suprirá até aquelas coisas que só Ele sabe que precisamos e desejamos.

“Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração.” Salmos 37.4

Que sejamos como a mulher sunamita, uma mulher que enxergou o outro com olhos de amor e não com interesse.

Semana que vem aprenderemos mais com esta mulher. Existe uma lição grandiosa nos esperando. Não perca!
Se não quer perder, cadastre seu email aqui no blog e siga-me nas redes sociais. Os links estão abaixo.

https://www.facebook.com/fortedelicadeza

https://instagram.com/denise.angeli/

https://twitter.com/ForteDelicadeza

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *