SÉRIE – O que aprendi com a maternidade
17/03/2017
Abraçando a vida de tentante
27/03/2017

SÉRIE – O que aprendi com a maternidade – Sobre o amor

Os últimos dias tem trazido à tona uma parte tão linda da vida que eu não conhecia, mas que apesar de linda é também tão exaustiva…

Ter uma hora livre pra sentar e escrever é algo que me passava pela cabeça fazer, mas confesso que fiquei meio sem saber muito bem como fazê-lo diante da demanda diária.

A rotina que antes me dava o prazer da escrita se transformou em uma rotina de fraldas e mamadas sem fim, de noites em claro, de um choro que eu precisava (e algumas vezes ainda preciso) aprender a decifrar.

Rotina essa que precisou ser aprendida, e por mim e ela (minha bebê) personalizada. Rotina que apesar de exaustiva se tornou também amada e amada ao olhar o fruto do amor de Deus em meus braços. Que sensação maravilhosa!

Ser mãe nos faz repensar muitas coisas, e uma delas é pensar como posso não ter sido mãe antes disso.

Deus sabe o porquê. Além de minhas limitações físicas, que em parte já contei em outras oportunidades, que você confere clicando aqui, teve o primordial, que é a vontade perfeita do Senhor. Deus faz tudo no tempo ideal e estou pronta pra ser mãe agora.

Tenho aprendido muitas coisas nesses dois meses de maternidade, mas a que mais me fascina e ao mesmo tempo constrange e prende é, o fato de agora entender melhor o amor de Deus por nós.

Não que o possa compreender em Sua plenitude, mas agora compreendo da forma mais ampla que um ser humano pode.

O amor sem limites, sem fronteiras, sem egoísmo. Um amor que supera tempo, cansaço, e até doença.

O que sinto por minha filha é um amor que me impulsiona a fazer por ela o que nunca imaginei. Como negar a mim mesma aquelas horas a mais de sono, aquele tempo que eu tinha pra cuidar de mim, o tempo que me dava pra fazer o que gosto.

Não que estas coisas tenham sido de todo deixadas de lado, até porque cuidar de mim é muito importante, inclusive pra ensinar ela a cuidar de si, pra se auto amar e valorizar. A vida continua e eu não pretendo me anular nela. Apenas compreendo que neste momento preciso me doar num nível mais elevado e que com o tempo tudo tornará ao seu lugar, ainda que consiga me dar uns mimos de vez em quando e que contarei em outra oportunidade como o faço e administro.

No entanto, percebo agora que é possível deixar pra depois o que antes parecia não poder. Estabeleço como prioridade o que precisa ser de fato, neste momento.

Uma vida depende de mim em sua totalidade, em cada detalhe.

Se não a banhar, dormirá sem o banho, se não a alimentar, ela passará fome, se não a acalentar ela ficará carente de afeto, etc.

O amor que tenho por essa pessoa que entrou na minha vida e na minha casa a tão pouco tempo já tomou um espaço tão grande na vida e no meu interior que, compreendo melhor o grande amor de Deus por nós.

Um amor que nos ama mesmo quando somos ignorantes em saber, um amor que nos ama mesmo com nossas fragilidades.

Somos feitos a imagem e semelhança de Deus. Feitos e criados por Ele com amor. Como não haveria Ele de nos amar?

Seu amor tão grande demonstrado com a maior das ofertas que poderíamos receber, a maior oferta que Ele poderia nos dar, a maior prova de amor, revelada na cruz. E tudo isso por AMOR. Pelo amor que nos tem, pelo amor que imerecidamente temos do Pai.

Ser mãe tem me levado a sentir o maior sentimento que alguém pode viver, mas tem me levado também a viver ações de renúncias pelo bem da minha pequena, renúncias e sacrifícios estes que se tornam leves por saber que é minha filha, fruto de amor, do meu amor e do amor do meu marido, e ainda um milagrinho.

Gratidão a Deus é o que sinto ao viver a maternidade, mas mais que isso, me faz sentir gratidão maior pelo amor de Deus por mim revelado da maior forma que haveria, através do sacrifício da vida de Jesus na cruz em meu lugar.

Agora compreendo melhor porque Ele doou tanto por mim. Sempre soube que foi por amor, mas agora tenho uma percepção melhor do tamanho deste amor.

A maternidade trouxe-me o desejo de oferecer o melhor a minha filha num grau tão intenso e forte, foi exatamente isso o que Ele fez por mim. Grandioso é meu amor por minha filha e as vezes me parece ser o maior amor que existe, aí me lembro do Senhor e do que fez por nós e então percebo que o maior amor é o que Deus sente por nós.

Até mais.





Siga-me nas redes sociais

Facebook

Instagram

Twitter

Pinterest

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *