A espera do POSITIVO
17/05/2017
Por que você faz o que faz?
16/08/2017

Mudanças e o outro

Mudanças não param de acontecer, isso é inevitável.

Situações repentinas que trazem mudanças também repentinas e que mudam tudo, ou muita coisa no nosso percurso e maneira como estávamos acostumadas. Pra algumas mudanças nos preparamos de antemão e ainda assim nos sentimos meio pegas de surpresa.

Gostando ou não, as mudanças fazem parte da nossa vida e da vida de quem nos cerca.E elas podem ser boa coisa, ainda que não seja visto assim de imediato.

Mas, como lidar com quem não compreende as mudanças que acontecem com você?

Não basta lidar com as mudanças que acontecem na nossa vida, ainda temos que lidar com as pessoas que não compreendem que as coisas nem sempre serão iguais, e aceitar, ainda que não seja como se quer ou imagina.

A verdade é que lidar com gente não é a tarefa mais fácil que encontraremos na vida, mas ela sempre se fará necessária, afinal, quem é que vive sozinho?

E não me refiro ao morar sozinho, mas ao viver sozinho. Todos temos parentes, colegas de trabalho, vizinhos, etc. Temos de lidar com uns mais do que com outros, mas não escapamos de ter de lidar com pessoas, pessoas estas que, não são idênticas a nós no jeito de pensar e na maneira de viver.

E mesmo aquelas pessoas que nos conhecem bem e que estão acostumas conosco, com nosso estilo de vida, podem reagir com insatisfação quando surgem as mudanças em nós.

Ouvir opiniões é sempre válido, eu gosto de ouvir a de alguns, dos quais considero respeitosos, experientes, bem intencionados, que o fazem, na real e não camuflada, intenção de ajudar.

Mas ouvir opinião não significa ter que acatar.

Nosso senso critico e de analise existe para isso, para pensarmos. Analise usando a razão e faça sua própria decisão.

Muitas vezes aquele que nos fala está certo, ou em partes, e pode ser que haja algo de bom e útil a usufruir. Não se feche aos “palpites” de amor. Mas também não sinta-se forçada a abraça-los e inibir sua capacidade e responsabilidade de decisão, pra não colecionar arrependimentos, por não ter feito isso ou aquilo porque fulano se opôs.

Mas há também os pitacos que são desnecessários e que dar muita atenção só gera desgaste desnecessário e muito falatório. Aos palpiteiros de plantão, ouça com os dois ouvidos bem aberto, pra que o conteúdo atravesse de um lado ao outro. Sabe aquela história de que entrou num ouvido e saiu no outro? É exatamente isso.

Cada adulto tem seu direito de escolha e responsabilidade também.

Será que nossos palpites sobre o outro é realmente com a intenção de ajudar ou só queremos fazer barulho com nosso “moralismo”, por nos acharmos “donos da verdade”? Será que nossa vontade de “curiar”, está disfarçada de querer ajudar?

Aceite que todos passam por mudanças e você agora mesmo pode perceber que algo muda em você.
Nem sempre vamos concordar com todos, mas podemos escolher respeitar.

Lide com as mudanças que acontecem na sua vida, respeite as mudanças que acontecem com o outro também. Afinal de contas, mudanças nunca acabarão de acontecer.

Até a próxima





Siga-me nas redes sociais

Facebook

Instagram

Twitter

Pinterest

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *