Abraçando a vida de tentante
27/03/2017
Ao único
10/04/2017

“Sai da tua terra e da tua parentela e vai para uma terra que eu te mostrarei.” Gênesis 12.1

Há momentos que as coisas não acontecem justamente porque estamos apegados demais a pessoas, lugares e/ou situações. Como assim?

Às vezes seu casamento não está em harmonia porque permite a interferência dos parentes ou amigos. Ou seu lar não esteja indo pra frente porque está apegado a um lugar que claramente não dá liberdade ao seu cônjuge e/ou a você. Ou até esteja acomodado demais morando com parentes ou muito perto destes, fazendo com que você e/ou seu cônjuge não se sintam de fato em casa, ou realmente casados.

Muitas vezes Deus tem planos maravilhosos pra nós que só serão capazes de se concretizar a medida que nos desprendermos de elos que não deveriam ser.

Quando um casal se casa, eles começam uma nova família, porém, em nossa nação é muito comum os casais se casarem, mas não romperem com o vínculo de ligação que tinham com suas famílias de origem, permitindo que estes afetem ou até impeçam o desenvolver e a independência do novo lar.

Não que isso queira dizer que seja preciso quebrar os vínculos de amor e deixar de se relacionar com a família de origem, mas é preciso entender que a relação com a família de origem muda a partir do casamento e agir de acordo.

Ambos, marido e mulher precisam entender isso para o bem do novo lar.

Em muitos momentos, ambos precisarão aprender juntos uma nova forma de decidir e resolver situações, se desprendendo da forma que aprenderam. Porque se cada um bater o pé em fazer como aprendeu com suas famílias de origem, mais conflito será gerado, uma vez que com certeza, cada um aprendeu de um jeito diferente, exatamente por terem vindo de famílias diferentes.

Muitas coisas precisarão ser aprendidas a ser feitas e resolvidas de um novo jeito, o jeito que o casal desenvolverá.

Quando Deus disse a Abrão que saísse de sua terra e de sua parentela e fosse para a terra que Ele mostraria, Abrão obedeceu em parte. Ele juntou suas coisas, tomou sua mulher e juntos saíram da terra em que estavam, mas Abrão cometeu o erro de levar seu sobrinho Ló com Ele, e isso no futuro lhe rendeu problemas.

Só depois que se separou de Ló é que estava apto a seguir rumo a promessa de Deus, porque agora de fato estava em obediência e dentro do propósito divino para o lar.

O mesmo acontece conosco. Tantas vezes Deus tem algo pra nossa família, pra nossa casa, mas nos prendemos a nossas famílias de origem, sem saber que isso está adiando os planos de Deus.

Falo por experiência própria que Deus muitas vezes nos tira do nosso lugar e nos leva para outro, afim de, cumprir Seus sonhos perfeitos em nós.

Sonhos que por anos são sonhados, e que nos vemos realizando quando o Senhor nos tira do nosso ponto de origem e nos leva a outro lugar.

Ame sua família de origem, tenha um bom relacionamento com eles, mas entenda que suas decisões e maneira de viver precisa mudar a partir do casamento. E isso é uma coisa boa!

Não é à toa que Deus disse:

“Por isso, deixará pai e mãe e se unirá a sua mulher, e ambos serão uma só carne.” Gênesis 2.24

A partir do casamento muitas coisas mudam e não há mal algum nisso. É pra ser assim!

É maravilhoso ter uma boa família de origem, mas isso não quer dizer que o casal casado tenha que se prender a costumes e tradições, ou formas de resolver e decidir que aprenderam na família de origem.

O próprio casal é que tem que desenvolver seu próprio modo, seu próprio jeito de fazer as coisas funcionarem bem. Muitas vezes tendo como base o que se aprendeu, mas não necessariamente seguindo à risca.

Desde que a maneira nova não fira a Palavra de Deus não há problema algum em se criar seu próprio jeito de fazer as coisas, o jeito do casal.

Porque nem sempre existe um único jeito de fazer coisas, e o que funcionava bem na sua família de origem pode não funcionar tão bem na sua nova família.

Converse sempre com seu cônjuge e desenvolva com ele a própria cultura do seu lar. Sem interferências ou mediações. Amando muito suas famílias de origem, mas respeitando sua nova família também e a fase em que agora está, que é a de casada.

Junto com seu cônjuge desenvolvam a cultura do novo lar. Isso com certeza será benéfico pra você, para seu cônjuge e seus filhos.

Tudo tem seu lugar. Nossas famílias de origem devem ser amadas sempre, mas não devem ditar a cultura do seu novo lar.

Até a próxima.





Siga-me nas redes sociais

Facebook

Instagram

Twitter

Pinterest

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *