Feia eu?
26/02/2016
Quero me apaixonar
01/03/2016

Aos folgados! Se quer casar, se sustente!

Certas coisas me causam muita indignação!
Não me entra na cabeça o comodismo, o ser folgado, o acomodado…

Não consigo entender o que faz alguém querer casar e continuar na barra da saia da mãe, por exemplo. Sério, não consigo!

Se estou indignada enquanto escrevo estas palavras? Sim, estou! Porque não é possível que essa nova geração esteja tão atrasada assim.

Dizemos que estamos evoluindo, mas cada vez mais me convenço do contrário.  A sociedade caminha a passos largos para trás.

As pessoas já não querem mais saber de trabalhar pra sustentar a própria família, elas buscam caminhos mais fáceis, onde é possível ter pessoas trabalhando pra si sem precisar fazer nada.

Tanta gente tem se iludido nesses esquemas de trabalho onde eu coloco um, que colocará outros, e estes outros mais outros e no fim do mês minha conta estará gorda. Não estou criticando o método de trabalho, mas a intenção com que muitos entram neles. As pessoas vivem buscam por fórmulas mágicas!

Pessoas buscando facilitadores para o que eu chamo de preguiça! Buscam rotas mais curtas que só os tem afundado nas dívidas.

É tanta gente encostada que chega a fazer mal para os que não são assim.

Pior são os que querem ser “independentes”, que não querem mais ter que dar satisfação aos pais, porque tal submissão mais lhes parece escravidão, mas que ao menor problema ou necessidade acham que os pais têm de arcar com os problemas destes pesos.

Sim, peso, porque aquele que sai da casa dos pais e volta apenas com as suas dívidas são pesos. E chegam a ser motivo de vergonha!

Sair da casa dos pais tem que ser uma decisão consciente, e vamos nos atentar para o fato de quem se casa…

Tu casa com quem escolheu, tu tem a chance de fazer a sua própria escolha, mas precisa arcar com as consequências delas.

Arrumar qualquer um pra sair da casa dos pais NÃO é uma escolha inteligente.

E mesmo no caso de ter alguém de quem se gosta, as vezes não é o suficiente, é preciso olhar de forma racional para a situação de ambos, se são compatíveis, observar o caráter, conduta, valores e finanças também, afinal, não se vive só de amor.

É preciso entender que pressa não ajuda a tomar decisão racional. Não adianta vocês estarem firmes no namoro e ter tudo em comum, mas não estarem empregados, por exemplo. Onde vão morar, com o que vão comer?

Vejo muita gente que casa, mas almoça e janta na casa dos pais todos os dias. Inoportunos! Vejo pessoas que não dão conta de pagar o próprio aluguel e voltam pra casa dos pais com o parceiro e as crianças.

Maridos acomodados que aceitam que a mãe ou a sogra se apertem pra que o bonito durma até meio dia.

Se quer casar precisa entender que terá de lidar com os problemas, com as contas no final de cada mês, com o sustento e não bater na porta da casa da mãe toda vez que surgir um probleminha ou um imprevisto.

Se é adulto pra se casar, seja adulto pra se manter!

Olha só o que a Bíblia diz acerca disto:

“Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” Gênesis 2.24

Em outras palavras a Bíblia está dizendo: Casou? Agora se virem sem os pais!

É claro que os pais podem ajudar, no caso de algo incomum que tenha surgido, como durante um problema sério de saúde, por exemplo, ou mesmo num desemprego repentino, desde que isso não se torne habitual, desde que a nova família não se torne um peso nem inconvenientes.

É claro que os pais, se forem sábios, podem aconselhar, mas isso em nada tem a ver com se encostar neles ou os deixarem ter a decisão sobre o seu lar.

A ajuda pode ser em um momento específico, como uma exceção, mas não via de regra!

Precisamos entender que ao se casar nosso posicionamento muda em relação aos nossos pais. Os deixamos pra constituir família, logo, somos os responsáveis por manter nossa nova família.

CONSELHO

PAIS ajudem seus filhos a não se encostarem em vocês, eduque-os pra isso desde cedo. E se tem filhos que estão encostados precisa cortar o mal pela raiz, eles só se desenvolverão se cortar o que os faz ficar encostados e acomodados.

MÃES, talvez fazer isso, de primeiro momento doa, porque não é fácil dizer não para os filhos amados, mas eles precisam disso. Amar também é dizer NÃO.

E FILHOS, entendam que seus pais fizeram tudo o que era de responsabilidade deles enquanto você era solteira. Se está se casando agora entenda que as coisas precisam mudar, pra que não isso se torne um problema no seu casamento ou na sua boa convivência com o seu lado da família ou do marido.

Cada coisa tem seu lugar e seu momento na vida. Enquanto crianças e adolescentes os pais providenciam tudo o que precisam, mas ao crescer, se tornarem adultos e principalmente ao constituir família precisam entender que já não devem mais buscam através dos pais a provisão e o sustento.

Aos folgados1

A foto acima não está aquelas coisas de boa, mas não podia deixar de postar uma foto onde estou com meus pais, uma do meu marido com os pais dele e e uma nossa. Cada coisa tem seu lugar na vida e nós temos de conviver com equilíbrio pra que todos estes relacionamentos tenham harmonia. E eu digo a vocês que é possível que seja assim nos seus também.

Sem mais.

Siga-me nas redes sociais

Facebook

Instagram

Twitter

Pinterest

Denise Angeli
Denise Angeli
Sou cristã, casada e mãe de uma menina. Formada em Gestão de Recursos Humanos e líder do Ministério Adorai. Amante da arte, pratico algumas delas: Escrevo música e poesia, canto, fotógrafa e estudante de flauta transversal. E fui bailarina. Gosto de trabalhar para ajudar as pessoas. Tenho um objetivo que sigo sem descanso: Ser melhor a cada dia. Amo ler a Bíblia e vivo minha fé. Nem sempre falo dela diretamente, mas as coisas que falo e faço tem este fundamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *